Friday, November 21, 2008

A inteligência dos insectos


Eis um artigo do New York Times sobre insectos, um livro por dois vencedores do Pulitzer. Os mecanismos da inteligência colectiva são cada vez mais estudados, e os cientistas sabem que existe uma consciência na natureza, e não apenas mecanismos repetitivos...

Ontem observei durante uma hora um formigueiro, de formigas grandes como há em ÁFrica, e vi-as retirar grãos de areia um por um das suas galerias. Noutro buraco estavam a acrescentar areia precisamente. Umas atiravam a areia para longe, quando a retiravam, mas outras não se davam ao trabalho e deixavam o seu grão mesmo à entrada. Precisamente o que veria  um gigante se olhasse para nós... Será que este também se interrogaria se existe ou não uma inteligência em nós, ou se estamos apenas a cumprir mecanismos?

"Hölldobler and Wilson’s central conceit is that a colony is a single animal raised to a higher level. Each insect is a cell, its castes are organs, its queens are its genitals, the wasps that stung me are an equivalent of an immune system. In the same way, the foragers are eyes and ears, and the colony’s rules of development determine its shape and size. The hive has no brain, but the iron laws of cooperation give the impression of planning. Teamwork pays; in a survey of one piece of Amazonian rain forest, social insects accounted for 80 percent of the total biomass, with ants alone weighing four times as much as all its mammals, birds, lizards, snakes and frogs put together. The world holds as much ant flesh as it does that of humans".

No comments: